14 de dezembro de 2006

Bom e ruim, mas sem maniqueísmos

Que bom!

Com esse horário de verão, tenho assistido ao Jornal da Globo. Saudades da Ana Paula Padrão. Mas hoje vi uma matéria sobre a venda de músicas online e o suposto fim do CD que me chamou a atenção e da qual eu gostei muito.

Sem previsões catastróficas, esclarecedora para quem ainda não conhece bem o assunto e até tranqüilizadora para quem se envolve com isso e tem ódio das bobagens que são ditas contra os downloads.

Eu não agüento mais ir ao cinema e ser obrigado a ver coisa do tipo “você não roubaria uma bolsa, não roubaria um celular, então por quê roubar um cd? Pirataria é crime” e blá blá blá...

CRIME são esses deputados aumentarem seus próprios salários em 91% e nós ficarmos assistindo a tudo embasbacados e paralisados em casa! Cultura não é produto, é informação. Pelo fim do copyright, veja aí o site do creative commons se quiser saber mais sobre isso.

98974832647863278587437834 de pessoas que conheço baixam músicas na net. São criminosos? Só não vou dizer que eu também baixo para não me acusarem de nada.

Só pra não perder o costume...


Em compensação, a matéria sobre inclusão digital foi extremamente falha. Equivocada, especialmente porque mostra a inclusão unicamente pelo ponto de vista do acesso e, sem perder o charme, dá um jeitinho de dizer que os microempresários fazem o que o governo não faz.

Ambos têm feito a mesma basicamente a mesma coisa durante anos: dar acesso. Mas isso inclui? Eu acho que não. Eu posso ter acesso às leis que regem meu cotidiano, mas de nada vai adiantar lê-las se eu não souber como faze-lo, ok? Computador com internet para quem precisa sim, mas com educação para a mídia, por favor!

2 comentários:

Tiagoocufs@hotmail.com disse...

Educação para a mídia e reguladora da mídia, pelo menos em nossas cabeças. Nas Filipinas adolescentes fabricam chips pra computador, raríssimos os que possuem acesso. Aqui, temos acesso, caminhamos para o "inter-relacionamento midiático", mas a mídia (internet, televisão (globo e seu padrão), cinema e até livros)manipulam sem nenhum excrúpulo as mentes desprovidas de senso crítico de , eu diria, 90% da população desse país. Que a educação seja o poder sobre a mídia!!!!

Tiago disse...

Sobre a questão da música virtualmente vendida... Os artístas desse país são suficientemente furtados, massacrados, acho q até humilhados pelas próprias gravadoras e pelos meios de comunicação. Por que o que vende são cds cheios de .. é... Os que querem de fato expressar, atingir, em fim.. são tidos como "alternativos" ou pior, fazedores de arte para pessoas da alta sociedade. Pirataria é um reflexo do caos econômico e social, que crime que nada!!!